Início » Portal Blue Farm » Como unir o agronegócio à sustentabilidade?

Como unir o agronegócio à sustentabilidade?

Selo sustentável

Maior consciência ambiental dos clientes faz produtores buscarem melhores práticas agroecológicas, mas como provar a sustentabilidade das fazendas?

Conheça o mais relevante evento sobre agronegócio do País

Com a ciência provando a cada ano que os danos causados pela poluição são irreversíveis para o planeta, cresce a preocupação em frear os danos ao meio ambiente. Além da apreensão de consumidores brasileiros, aumenta também o rigor internacional na exigência de produtos que garantam que sua produção atenda a princípios de sustentabilidade.

A sustentabilidade, no contexto da produção agrícola, pode ser entendida como um tripé cujos fundamentos são meio ambiente, economia e sociedade. Estudos da Organização das Nações Unidas (ONU) estimam que até 2030, o mundo terá um aumento populacional de mais de 1 bilhão de pessoas e que a demanda por alimentos irá aumentar cerca de 30%. Para que seja possível atender a essas necessidades, é preciso que o agronegócio continue com práticas de produção em massa, mas que consiga fazê-las de forma responsável com o meio ambiente, comunidades locais e com os trabalhadores.

Certificações ambientais

Sustentabilidade

Certificado de Agricultura Sustentável

De modo geral, selos que garantem as produções sustentáveis e certificações ambientais são emitidos por governos, institutos de pesquisa ou organizações não governamentais (ONGs) em cooperação internacional. Esses selos analisam se os produtores do agronegócio e das empresas adotam critérios como a proteção de áreas nativas e proteção de recursos naturais (como recursos hídricos e da fauna), bem como gestão de resíduos e emissão de gases causadores do efeito estufa (GEE).

No mundo, existem cerca de 400 selos reconhecidos por garantir padrões de sustentabilidade das produções agrícolas. Entre os principais estão o Forest Stewardship Council (FSC), o qual atesta que propriedades fazem o manejo correto de áreas florestais, e o Rainforest Alliance Certified, o qual garante que as propriedades rurais atendam padrões referentes à sustentabilidade ambiental e também à dignidade dos trabalhadores.

Principais certificações no Brasil

Segundo dados do Sebrae, no Brasil existem cerca de 30 selos de certificações sustentáveis para empresas e para o agronegócio. Entre as principais estão a Procel Edifica, emitido pela Eletrobras e que atesta o uso racional da energia em todas as fases da produção; o Carbon Trust Standart, que garante às empresas reduzirem a emissão de CO2 e fazerem melhor a gestão da água; e o ISO 14001, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que certifica empresas e empreendimentos de todos os setores que comprovem o uso racional de recursos naturais, a proteção de florestas e a preservação da biodiversidade.

Outros selos, como o Ecocert, e o Instituto Biodinâmico certificam especificamente produtos orgânicos (que não usam agrotóxicos). Além disso, pela extensão da Floresta Amazônica no País e pela importância dos ecossistemas brasileiros para o mundo, diversos institutos internacionais atuam aqui, por isso é normal encontrar produtores com certificações da FSC e da Rainforest Alliance Certified.

O manejo sustentável de fazendas já deixou de ser apenas uma demanda de ambientalistas. Atualmente, produtores que queiram continuar relevantes e queiram crescer internacionalmente precisam estar atentos às demandas das certificações ambientais. Além de deixar um planeta melhor para as futuras gerações, a sustentabilidade agrícola promete ser bastante lucrativa.

Fonte: Agricultura Sustentável

Deixe um comentário