Início » Portal Blue Farm » Suinocultura independente: setor enfrenta mais uma semana difícil para as negociações e com recuo nos preços

Suinocultura independente: setor enfrenta mais uma semana difícil para as negociações e com recuo nos preços

Excesso de oferta é o que segue pressionando os preços para baixo, apontam lideranças da área

Esta quinta-feira marca mais uma semana em que a suinocultura independente enfrenta queda nos preços ou dificuldades em realizar acordo entre produtores e frigoríficos. Lideranças do setor seguem apontando o excesso de oferta no mercado como ponto crucial para pressão de baixa nas cotações.

Em São Paulo, conforme informações da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS), o preço caiu de R$ 6,13/kg para R$ 5,60/kg vivo nesta quinta. Ainda segundo informações da entidade, a relação de troca entre uma arroba suína com este valor negociado e uma saca de 60 quilos de milho cotada a R$ 87,33 fica em 1,20, quando o ideal seria 2,50.

No mercado mineiro, o valor subiu de R$ 5,80 o kg vivo para R$ 6,00/kg vivo, preço sugerido já que não houve acordo entre suinocultores e frigoríficos, conforme com informações da Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg).

“O mercado de suínos de Minas é enxuto e tem boa liquidez. O consumo continua bom. A divergência entre produtores e frigoríficos está na quantidade de oferta de mercadoria de fora do estado. Novamente não houve acordo entre as partes e o preço será definido pelas negociações efetivas no mercado.”, disse Alvimar Jalles, consultor de mercado da entidade.

Santa Catarina também enfrentou recuo, passando de R$ 5,38 o quilo vivo para R$ 5,01/kg vivo. O presidente da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS), Losivanio de Lorenzi, aponta que “o cenário é desesperador”.

“Há uma oferta muito grande de matrizes para descarte, o pessoal pagando 2,80, 3,00, e muitos produtotres com suínos há três semanas na granja sem conseguir carregar. Há uma oferta grande das cooperativas de suínos e leitões no mercado, e aí vemos esse desastre todo, principalmente na suinocultura independente”, afirmou Lorenzi.

No estado do Paraná, Considerando a média semanal (entre os dias 19/05/2022 a 25/05/2022), o indicador do preço do quilo vivo do Laboratório de Pesquisas Econômicas em Suinocultura (Lapesui) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) teve queda de 3,00%, fechando a semana em R$ 5,29.